domingo, 19 de abril de 2009

ANJOMAY

LAU SIQUEIRA PARA MAY


Lau: anjo azul



quando a memória marca a ferro cálido
um cerco invisível no oco que oprime
a história do mundo

quando as bolhas tropicálias movem-se
em mantos de transgressões tatuadas no
escândalo das coisas ocultas

quando as certezas das vulvas cerzidas no
agasalho das noites de banzo ou loucura
ousam o lúdico no fálico

quando nossas culpas percorrem impunes
o silício das guerrilhas vencidas dentro
de uma guerra perdida

então o tempo se faz muito mais que
um rito espalmado na solidão coletiva

plástico e pulsante
numa maresia que
não corrói

pois que se faz do abismo e do pano
impermeável que cobre nossas asas

na travessia e na travessura dos dias
colhendo do cerco todas as saídas

como um anjo azul
na devassidão nua do universo


Um beijo carinhoso, May! De presente, vai este poema nascido pra tu, agora, em plena tentativa de scrap.  Parabéns, guerreira. Feliz aniversário!

EM 18 ABRIL 2009.

Um comentário :

news...nutrição/gastronomia/turismo disse...

Lindooooooooooooooo
Já sou sua seguidora!
Abçs