domingo, 16 de janeiro de 2011

FOLIA DE RUA 2011

Como gerar outra Folia de resultados

Tempo de superação / WALTER SANTOS

O ano de 2011 começou com novos ares políticos no Estado e a presença continuada de milhares de turistas tomando de conta de nosso litoral, mas precisando que as outras questões da vida cotidiana, pública ou privada, sejam tocadas para fazer sentido à normalidade dos tempos.

Agora mesmo, em janeiro, já vislumbramos para o final de fevereiro vindouro a 25ª Versão do Projeto Folia de Rua, movimento popular que resgatou o carnaval de João Pessoa. Para variar, o presidente Bola Nonato nos confidenciou anteontem: “embora tenhamos entregue o projeto 2011 a grandes anunciantes nacionais até agora não temos nenhuma resposta confirmada. Só promessas”.

Ontem, numa conversa bacana e cúmplice com Chico César – em pleno bastidores do show de Ana Carolina, ouvi do catolaico a informação de que a Secretaria de Cultura não estará legalizada e/ou estruturada em tempo hábil para atender ao Folia de Rua ou outro grande evento nos primeiros meses de 2011.

Some-se a este quadro nebuloso, enquanto perspectiva de apoio financeiro, ao Folia de Rua não é demais lembrar que nos primeiros dias de Governo, o governador Ricardo Coutinho andou dizendo que não tem uma prata para eventos este ano. Depois condicionou cada caso, mas até agora não deu sinais concretos de que apoiará o projeto carnavalesco.

Pelo visto, muita conversa e pressão ainda vão existir para revisar a não participaçao do Governo na Folia, que tem caráter e dimensão distinta de todas as outras manifestações carnavalescas do Estado –embora outros eventos também mereçam apoio.

Ricardo, diferentemente de todos os ex- governadores, tem compromisso histórico maior com a Folia por ter participado desde os primeiros passos como folião, sabendo ele que ao chegar ao Poder máximo não pode ignorar a cumplicidade com o movimento que ajudou a consolidar.

Há entre os blocos, sobretudo, a esperança de que o governador reveja a decisão de não participar em nome das restrições financeiras de inicio de Governo, porque é chegada a hora de somar esforços, superar diferenças e avançar para garantir milhares de micronegócios informais durante a fase do Folia de Rua.

No ano passado

Independentemente da menção que se faça sobre governos e governadores, precisamos encarar a realidade dos fatos como parâmetro, a exemplo do que aconteceu em 2009, quando o então governador Maranhão assumiu fazendo criticas ao antecessor dizendo que tudo estava no vermelho, mesmo assim honrou os compromissos assumidos pelo Governo Cássio.

No caso de 2011, certamente que vamos estar com outra realidade mas precisando aquecer a cumplicidade do governador por tudo o que representa na relação com a arte e a cultura paraibana.

Problema a superar; é preciso superar

A eleição de 2010 rachou os apoios que eram quase uníssonos em torno de Ricardo Coutinho. Para se ter uma idéia, o fundador do Muriçocas e um dos mais fervorosos defensores de RC, Fuba, tomou outro rumo em face de desavenças, mal – entendidos e intrigas do “fogo amigo” gerando conflito de interesses e distanciamento entre eles.

Como todos sabem, Fuba levou o hino do bloco para a primeira campanha de Ricardo, mesmo sofrendo criticas pela vinculação, só que agora eles não se falam e resistem em admitir algo perfeitamente tolerável quando se desarma os espíritos.

Precisamos, sobretudo pela historia e vinculo de Ricardo com o Folia de Rua, criar meios civilizados e oportunos para encontrar uma saída resolvendo e aparando as diferenças porque o movimento é maior do que a crise pessoal de agora.

Ninguém precisa fingir superação, mas admitir entendimento para construir uma nova etapa em favor da cultura carnavalesca da cidade e do Estado é algo indispensável competindo ao personagem de maior força o gesto soberano de construir as condições da Folia contar mais uma vez com seu envolvimento.

Não é fácil resolver, mas é preciso, indispensável. Vamos trabalhar nessa direção.

A saida negociada

Se Chico César nao pode oferecer o apoio em face de questoes burocráticas, o governador sabe muito bem que outros organismos, a exemplo da PBTur, podem gerar essa condiçao legal.,

A propósito, não falta opçao legal para resolver a questao, porquanto o indispensável neste momento é a decisao política que certamente não deixará de existir quando se trata de Ricardo Coutinho e seu perfil decidido.

Certamente que sua sensibilidade e compromisso com a Folia lhe servirão de reforço ao próximo passo da reconciliação.

ÚLTIMA

"Ei/ você ai/ me dá um dinheiroai/

me dá um dinheiro ai..."

Um comentário :

OBRA DE MERDA disse...

A FULIA SEGUE EM PAZ

O corpo passeia ao sol
Lado à Lado
O espírito trabalha na surdina
E a folia segue em paz

Riso Maria Dersu

Ashé! Chico César,Bola Nonato, Ednamay e Ricardo Coutinho